ANDES-SN vai pautar greve geral contra Reforma da Previdência

Sindicato Nacional também vai construir a greve de Mulheres no 8M
O ANDES-SN vai participar da plenária nacional das centrais sindicais contra a Reforma da Previdência. A reunião acontece dia 20 de fevereiro, em São Paulo. Segundo a resolução aprovada durante a Plenária do Tema 2 no 38º Congresso do ANDES-SN, o Sindicato Nacional pautará a necessidade de uma nova greve geral no Brasil.
O Tema 2 debateu Políticas Sociais e o Plano Geral de Lutas. O Sindicato Nacional também construirá, via secretarias regionais, plenárias estaduais como preparação para a plenária das centrais.
Os delegados também aprovaram a participação na construção da Greve Internacional das Mulheres, em 8 de março. O ANDES-SN indicará a paralisação dos docentes neste dia.
“Paralisar e mobilizar no 8 de março é dar uma resposta aos ataques e retrocessos deste governo miliciano e de extrema direita, assim como aos ataques da extrema direita no mundo. É fundamental que as seções sindicais se envolvam e participem ativamente das atividades”, defendeu a 1° secretária do ANDES-SN, Caroline Lima, durante a votação do tema.
A docente lembrou o protagonismo “fantástico” das mulheres nas lutas recentes do país, como os atos do “Ele Não” e os números gritantes de feminicídios no país. Só no primeiro mês de 2019, mais de 100 feminicídios foram registrados no Brasil.
Após extenso debate, os docentes deliberaram que o ANDES-SN deve ampliar a mobilização contra a criminalização do movimento sindical e social. Essa mobilização também abrangerá a luta contra prisões arbitrárias de militantes, em defesa dos perseguidos políticos e pela libertação de todos os presos políticos. O 38º Congresso indicou às suas seções sindicais a participação em comitês pelas liberdades democráticas e pelos direitos sociais, incluindo os que tenham como consigna “Lula Livre” e que explicitem pautas defendidas pelo Sindicato.
Para o presidente do ANDES-SN, Antonio Gonçalves, as deliberações da Plenária apontam para o fortalecimento da unidade da classe trabalhadora. “O Congresso está sendo um momento de debate aprofundado sobre a situação da categoria docente na perspectiva do classismo. Podemos afirmar que é um momento histórico pela sua pauta e tamanho, o que nos anima dentro das possibilidades de construção da unidade”.
O 38º Congresso do ANDES-SN segue até este sábado (02), em Belém. Organizado pelo Sindicato Nacional com o apoio da ADUFPA, o evento é um dos maiores da história do movimento docente das instituições de ensino superior: 599 participantes, sendo 393 delegados (as), 156 observadores(as), 10 convidados(as) e 40 diretores(as).
Fonte: Aduff e Adufpa com edição do ANDES-SN –  02 de Fevereiro de 2019 às 15h38

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *