Docentes da Uern entregam reivindicações à reitoria e iniciam greve na sexta (10)

A diretoria da Associação dos Docentes da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (Aduern Seção Sindical do ANDES-SN) entregou, nessa terça-feira (7), a pauta de reivindicações de greve da categoria. Os docentes decidiram, por ampla maioria, em uma assembleia com mais de 250 participantes, por iniciar greve por tempo indeterminado, a partir de sexta-feira (10).
Dentre as reivindicações apresentadas durante a reunião com a administração central da Uern, foram discutidas com mais ênfase a situação do contrato dos professores substitutos, que deve se encerrar no dia 10 de novembro. O reitor Pedro Fernandes explicou que os contratos serão renovados até o dia 01 de dezembro – se assim for solicitado pelos departamentos -, e conforme o decorrer do movimento grevista será avaliada a possibilidade de manutenção contratos dos provisórios.
Outro ponto discutido foi a suspensão de consultas, exames e cirurgias eletivas através do plano de saúde dos docentes, por conta do atraso no repasse para a empresa responsável. A equipe administrativa detalhou a situação, lembrando que já vem realizando reuniões com a direção da prestadora de serviços a fim de garantir a manutenção dos atendimentos.
Na nota, a administração do plano afirmou que o “motivo da suspensão é o atraso do pagamento referente aos meses de setembro e outubro, além da ausência de pagamento de juros e correções monetárias por atrasos entre os períodos de julho de 2016 e julho de 2017, quanto à contratação dos serviços de assistência médica”.
A pauta reivindicações entregue pela Aduern SSind. ainda abrange uma série de pontos, que vão desde as condições de trabalho na universidade à garantia de salários em dia, com um prévio calendário de pagamento definido.
De acordo com a nota “Greve por dignidade”, divulgada pela diretoria da Seção Sindical dos Docentes da Uern, a decisão pelo movimento paredista “é resultado de uma política econômica desastrosa que condiciona os/as trabalhadores/as do Estado a carregarem os serviços públicos nas costas. Saúde, educação, segurança e os demais serviços só funcionam porque os/as trabalhadores/as assumem o compromisso de todos os dias exercerem o seu trabalho com responsabilidade. É resultado, também, dos ataques recentes que têm sofrido a Universidade e a categoria docente: retirada dos aposentados da folha de pagamento da UERN; ameaça de suspensão do plano de saúde por falta de repasse do governo; rebaixamento do valor do auxílio saúde, bem como a exclusão dos aposentados a esse auxílio. Tudo isso se soma ao insustentável quadro de atrasos salariais e cinco anos sem qualquer reposição”.

Confira as reivindicações apresentadas pelos docentes à Reitoria da Uern:

1 – Pagamento em Dia dos Salários Atrasados;
2 – Divulgação de um Calendário de Pagamento;
3 – Acompanhamento e cobrança pela retirada das Mensagens nº 118, 148 e 151, enviadas pelo Governo do Estado à Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte;
4 – Garantia do Auxílio Saúde para os Ativos e Aposentados;
5 – Regularização do Repasse do Auxílio Saúde a Unimed por parte do Governo do Estado;
6 – Permanência na Folha de Pagamento da UERN dos Professores Aposentados;
7 – Atualização e informação sobre a tramitação do Projeto de Autonomia Financeira;
8 – Cópia para ADUERN do Projeto de Autonomia Financeira encaminhado ao Governo do Estado;
9 – Não suspensão dos contratos e pagamentos aos professores substitutos.
Com informações e imagens de Aduern-SSind.
Fonte: ANDES-SN – 08/11/17

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *