Assembleia aprova acordo com Governo e Reitoria para descongelar progressões de carreira

O acordo entre a ADUEPB, Reitoria e o Governo do Estado para descongelar as progressões de carreira dos professores da UEPB, no período de 2015 a 2017, foi ratificado pela assembleia geral da categoria, realizada hoje pela manhã (27/09) no Auditório do Curso de Psicologia, em Campina Grande. O acordo passa a vigorar em outubro.

A aprovação do acordo ocorreu depois de um intenso debate sobre o que ele representada de ganho para a categoria e da constatação de que os professores devem começar a se mobilizar para a campanha salarial 2018, já que a data base dos servidores públicos estaduais é no mês de janeiro.

A diretoria avaliou que o descongelamento das progressões está longe de atender a pauta da categoria, mas num contexto de ataques as universidades públicas e retiradas de direitos que atingem todos os trabalhadores do país, o acordo representou um ganho para a categoria.

O presidente da ADUEPB, Nelson Júnior, ressaltou que os professores da UEPB foram a única categoria dentre os servidores do poder executivo estadual que conseguiu negociar com o governo do estado. “A reposição salarial continua na pauta e a luta não termina nesta campanha salarial”, lembrou.

Durante a assembleia, o vice-presidente da Secretaria Regional NE II do ANDES-SN, Josevaldo Cunha, apontou que o descongelamento das progressões de carreira, pode ser avaliado com uma vitória da categoria, embora outras reivindicações importantes não tenham sido conquistadas, diante da conjuntura nacional de ataques as universidades públicas estaduais.

Nelson Júnior explicou que a pauta interna da greve, continuará sendo negociada com a Reitoria da UEPB e a diretoria da ADUEPB está solicitando uma audiência com o reitor para avançar nas discussões sobre como as reivindicações dos professores poderão ser implantadas.

ENCAMINHAMENTOS

Além de aprovar o acordo com o Governo do Estado e com a Reitoria, a assembleia da ADUEPB também deliberou outros encaminhamentos para serem realizados pelo Sindicato.

Um deles foi levar para a audiência com a Reitoria a proposta de uma ação judicial para buscar assegurar, em 2017, o repasse do Governo para UEPB de R$ 307 milhões. Este foi o valor gasto pela universidade em 2016 e a gestão estadual não poderá investir uma quantia menor na instituição, conforme está previsto na Lei de Autonomia da instituição. Até agora só está garantido um repasse de R$ 290 milhões.

Os professores também aprovaram uma moção de apoio e solidariedade aos trabalhadores da Empresa de Correios e Telégrafos – ECT, que estão em greve nacional desde o dia 20/09, buscando reposição salarial e contra as tentativas de privatização da estatal.

INFORMES

Durante a assembleia foram repassados a categoria informes sobre a realização do seminário UEPB: autonomia/financiamento, gestão e o papel no desenvolvimento socioeconômico da Paraíba, do evento Saia do Whatsapp e venha para as rodas de conversa, do curso de espanhol oferecido pela ADUEPB para os aposentados e a plenária da CSP-Conlutas estadual de preparação ao 3º congresso nacional da central.

Também foi informado que a diretoria da ADUEPB deverá buscar informações junto aos professores escolhidos pela categoria para apresentar um relatório sobre o “Dossiê da Vergonha”, sobre o andamento destes trabalhos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *