Docentes da UEPB suspendem greve para retomar diálogo com Governo do Estado

 

Os professores da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) suspenderam hoje (13), pela manhã, durante uma Assembleia Geral, a greve da categoria. O objetivo é retomar o diálogo com o Governo do Estado e o retorno às aulas nos oito campi da instituição ocorrerá na próxima segunda-feira (17), para a conclusão do semestre 2016.2. Na ocasião, 58 docentes votaram a favor da suspensão, 16 foram contra e dois se abstiveram.

A partir de agora, a diretoria da Associação dos Docentes da UEPB, a Aduepb, buscará o Governo do Estado para a retomada do diálogo, com o propósito de negociar as pautas da greve da categoria diretamente ligadas a esta esfera de poder.  Na semana passada, o Governo, através do secretário Fábio Maia, confirmou que se a paralisação fosse suspensa o diálogo seria reaberto com a Aduepb. Uma assembleia docente foi agendada para o início do próximo semestre, para avaliar o andamento das negociações.

Entre as reivindicações dos professores estão uma reposição salarial de 23,61%, referente aos últimos três anos; o desbloqueio das progressões de carreira, congeladas desde 2016; a realização de concursos públicos; revogação da lei 10.660/2016; cumprimento do acordo da greve de 2015; cumprimento do orçamento 2017 da UEPB e ampliação e melhoria da política de assistência estudantil.

A decisão dos professores aconteceu depois de uma avaliação da greve, onde a diretoria apontou que depois de 90 dias de greve não existem conquistas, mas alguns avanços como: a garantia da Reitoria que não ocorrerá fechamento de campus ou redução de vagas, a apresentação de  três possibilidades de reposição salarial para serem analisadas pelo Governo do Estado; a confirmação pelo Governo de que o orçamento seria de pelo menos R$ 307 milhões e o acerto entre o Ministério Público e a Reitoria para a elaboração de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para construir um calendário para a realização de concursos públicos para docentes na UEPB.

Entre os encaminhamentos aprovados pela assembleia também está a participação de dois professores do Comando de Greve nas tentativas de diálogo com o Governo do Estado e moções de repúdio ao Governo Estadual pela seleção de Organizações Sociais (OS) para gerir escolas estaduais e aos deputados federais e senadores paraibanos pela aprovação da contrarreforma trabalhista.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *