Nota da ADUEPB sobre a decretação da prisão do ex-presidente Lula

A ADUEPB, discutiu e aprovou em reunião de sua diretoria, um conjunto de ações na defesa da educação pública, da autonomia da UEPB e dos direitos da Categoria, a exemplo da Reposição Salarial e, ainda, fez uma avaliação da possível prisão do ex-presidente Lula, como consequência de sua condenação em segunda instância no TRF4 e da negativa do Habeas Corpus, demandado pela defesa do ex-presidente.
A celeridade de todo o processo até a condenação e prisão de Lula é algo único na República. Mesmo sendo um princípio fundamental para a justiça, não é essa a regra no Brasil, onde temos milhares de pessoas presas aguardando julgamento, ou que já cumpriram pena e aguardam alvará de soltura. A celeridade funcionou apenas para determinar a prisão de Lula e atender aos interesses dos golpistas. Um exemplo claro dessa determinação de prender Lula é o fato do STF se negar a julgar as duas Ações Diretas de Constitucionalidade que questionam a prisão em segunda instância e priorizar o julgamento do Habeas Corpus, que demonstrava ser a estratégia mais eficaz para liberar a prisão do ex-presidente.
A ADUEPB entende que a prisão do ex-presidente é mais uma ação característica de uma justiça seletiva, que tem sido a marca do judiciário brasileiro, o que é confirmado com o tratamento dado ao caso Rafael Braga. A Justiça que hoje determina a prisão de Lula, é a mesma que delegou ao Senado Federal a decisão de manter (ou não) Aécio Neves afastado do mandato e em recolhimento domiciliar noturno; essa é a mesma justiça que tem feito vistas grossas aos casos de corrupção envolvendo políticos do PSDB na lava a jato (ou no caso do Metrô de São Paulo), à exemplo de Alckmin e Serra.
Na nossa compreensão a prisão de Lula atende unicamente aos interesses eleitoreiros das forças políticas que deram o golpe; congelaram os investimentos públicos; fizeram a reforma trabalhista destruindo direitos dos trabalhadores; fazem vistas grossas ao trabalho escravo e aplicam uma intervenção militar no Rio de Janeiro. A prisão do ex-presidente tem como único objetivo ceifar o seu direito à candidatura presidencial em 2018, como parte da estratégia de dar uma viés democrático ao golpe com a eleição de um presidente saído do ninho dos vampiros.
Se colocar de forma contrária a maneira como foi conduzido o processo e, consequentemente, a prisão de Lula, é reafirmar a defesa da nossa constituição que garante a presunção de inocência até o transito e julgado e, principalmente, a defesa da democracia, o que é um dos princípios da ADUEPB. Entretanto, o posicionamento deste sindicato não deve ser confundido com a defesa de nenhuma candidatura ou de partidos políticos, pois a ADUEPB enquanto uma entidade autônoma de partidos, governos e reitorias, delibera suas posições a partir da análise concreta da realidade.
Assim, conclamamos a comunidade acadêmica e a população em geral, a intensificar as lutas em defesa da universidade pública, da autonomia da UEPB, da democracia, contra a criminalização dos movimentos sociais, pela revogação das reformas aprovadas pelo governo ilegítimo de Temer e a continuar a luta para impedir a reforma da previdência.
Por fim, é importante termos clareza que agora é o ex-presidente Lula que está sendo condenado sem provas; depois virão os pensadores, professores, artistas, militantes e todos aqueles que desagradarem a um general de pijama ou ousarem continuar lutando em defesa dos seus direitos.
Chega de Golpes.
Diretoria da ADUEPB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *